5 Perguntas que não podem deixar de serem feitas antes de contratar funcionários em Bares ou Restaurantes

Comentários · 2736 Visualizações

Um Guia rápido com sugestões para Gestores e Proprietários que estão com dificuldades na filtragem de candidatos para vagas de trabalho em seus estabelecimentos.

 

O dia a dia de um estabelecimento de alimentação fora do lar, a correria, a falta de opções qualificadas e a ausência de um RH estruturado ou de prestadores de serviços nessa área podem levar as contratações feitas sem o devido cuidado. Diante disso, reunimos aqui 5 perguntas que podem ajudar o responsável pela entrevista a não admitir um trabalhador sem o alinhamento mínimo com os valores da organização.

 

São dicas simples, mas até mesmo a forma de se fazer a pergunta permite uma melhor compreensão dos motivos e os objetivos de obter essas informações. Muitas vezes incluímos uma pequena introdução para dar contextualização e segurança para quem faz a pergunta.

 

  • Quando entramos em uma empresa é fato que a carga horária de trabalho nos leva a interagir com os colegas de trabalho as vezes mais tempo que com a nossa própria família, nesse sentido queremos conhecer um pouco mais do seu núcleo familiar. Me conte, na sua residência quem são todas as pessoas que moram lá, o parentesco com você e o que fazem essas pessoas?

A pergunta feita dessa forma gera empatia e evita gafes, como perguntas diretas sobre filhos. Pode ser feita até em um processo coletivo, sem gerar desconforto, é um ótimo quebra gelo e gera um melhor entendimento sobre a situação familiar da pessoa.

  • Nós já temos o seu currículo, mas existem muitas experiências que no papel não conseguimos entender todos os desafios e aprendizados. Me conte, das suas experiências profissionais qual aquela mais desafiadora ou a que mais agrega para a proposta de trabalho na nossa empresa?

Nessa pergunta também podemos ampliar para solicitar um pequeno resumo profissional, permitindo a pessoa passar rapidamente por cada experiência. Também pode ser muito interessante abordar trabalhos não registrados ou voluntários, por vezes são ótimas experiências que não estão registradas no currículo.

  • O objetivo do processo seletivo é a gente te conhecer, mas antes disso é muito importante que você se conheça, suas características e qualidades. Me conte, em uma palavra a sua principal característica positiva, aquela que se destaca dentre os demais e as pessoas observam e falam da sua pessoa. Qual é essa palavra?

Esse é o ponto em que entrevistadores mais inexperientes podem se perder, ao perguntar qualidades a tendência é a pessoal buscar falar muitas características com diferentes enfoques. Essa abordagem permite tomar as rédeas da situação e manter o controle do processo. Pode ser interessante complementar solicitando um caso real onde o candidato usou essa característica para resolver uma situação. É importante ao solicitar um caso real ser bem direto com o candidato para não sejam apresentadas situações hipotéticas, e principalmente o resultado das ações e o uso dessa característica.

  • Ainda nessa parte do autoconhecimento é importante reconhecer que não somos bons em tudo. Me conte, qual a característica você ainda precisa melhorar, que você já percebeu que não é tão bom, e o mais importante o que você está fazendo para melhorar nesse aspecto?

A palavra “Defeito” pode ser usada? Sim, mas muitos candidatos travam totalmente com essa palavra. Essa abordagem é mais suave e próxima e foca na melhoria e não nos pontos negativos. Já vivemos o clichê do “perfeccionismo”, que ainda é bastante usado. O novo queridinho desse ponto dos processos é a palavra “ansiedade”. Pode ser necessário pedir um caso ou uma situação real para entender melhor.

  • É muito comum nas entrevistas se perguntar o motivo pelo qual a pessoa deve ser contratada, mas esse processo é de mão dupla, e não é suficiente a empresa te escolher, você também tem que escolher a empresa. Me conte, quais são os motivos e as características que levam você a escolher a trabalhar na nossa empresa?

Esse tipo de fechamento é muito produtivo, e ainda nessa abordagem é possível saber o que a pessoa já conhece da empresa, o que pesquisou e o que ela realmente visualiza como valor. A pergunta tradicional “porque você deve ser selecionado” também pode ser usada, e pode ser um fechamento recapitulando tudo que foi dito.

Essas perguntas são opções para ajudar e complementar o processo seletivo, mas melhorias graduais e contínuas na área de recursos humanos são essenciais para a vitalidade dos negócios. Hoje a variável “pessoas” é um dos principais desafios das empresas, dessa forma evoluir na gestão e contratação de pessoas é caminho inevitável para o sucesso.

 

Helton Guerra Fernandes

Bacharel em Administração pela UFMG

Especialista em Recursos Humanos

Estou disponível para interagir no link:
https://linktr.ee/heltonguerra

 

Comentários
Diego Gurgel do Amaral 1 sem

Helton Guerra, a simplicidade do seu texto o torna de fácil compreensão e fácil reprodução. Sou novo na plataforma, faço parte do mesmo ecossistema que você e gostaria de contribuir com todos usando seu texto como base.

Na minha opinião e se fizer sentido, gostaria de me conectar contigo.